Dica de leitura: Sobre a brevidade da vida

Sêneca viveu no início da era cristã (nasceu em 4 a.C.), mas sua obra Sobre a Brevidade da Vida encontra-se atual até os dias de hoje, pois trata da vida, da maneira como lidamos com ela e o motivo pelo qual a sentimos tão breve.

Ele afirma:

“Não é curto o tempo que temos, mas dele muito perdemos. A vida é suficientemente longa e com generosidade nos foi dada, para a realização das maiores coisas, se a empregamos bem. Mas, quando ela se esvai no luxo e na indiferença, quando não a empregamos em nada de bom, então, finalmente constrangidos pela fatalidade, sentimos que ela já passou por nós sem que tivéssemos percebido”.

Sêneca – Sobre a bervidade da vida (p. 2)

Para Sêneca, a forma de melhor aproveitar a vida é viver sem preocupações. Quando passamos o tempo com futilidades, dependendo de um vício ou ocupados com coisas que são mais para os outros do que para nós mesmos, a vida passa sem a sentirmos e, por isso, a julgamos breve.
Para ele, saberemos que a vida foi bem vivida quando, ao chegar próximo à morte, sentirmos serenidade e paz.