Brincadeiras de festa junina

Época de festa junina é muito animada, pois temos festas, temos danças, comidas típicas e muitas brincadeiras.

Aqui traremos diversos exemplos de brincadeiras que podem ser feitas para animar as festas juninas (se preferir ouvir a descrição das brincadeiras, clique aqui):

1. Passa chapéu

Passa chapéu

Esta brincadeira é uma variação da batata quente.

Vamos precisar de um chapéu e música.

Os participantes ficam em roda. Uma música – de preferência, caipira – começa a tocar e o chapéu deve ir passando de mão em mão. Quando a música parar, quem estiver com o chapéu sai da brincadeira. Vence o último a ficar na roda.

O passa chapéu contribui no desenvolvimento da coordenação motora e da atenção, além do controle da ansiedade e tolerância à frustração.

2. Ovo na colher

Ovo na colher

Para a corrida do ovo na colher, necessitaremos uma colher e um ovo (ou uma bolinha de ping pong, por exemplo) para cada participante.

Antes de iniciar, é importante estipular o ponto de partida e o ponto de chegada da corrida.

Cada participante correrá com o cabo da colher na boca e o ovo deverá permanecer em cima da colher durante todo o percurso.

A brincadeira ajuda o participante a desenvolver a coordenação motora, o equilíbrio e a concentração.

3. Corrida do saco

Corrida do saco

Para esta brincadeira, precisaremos de um saco para cada participante (pode ser de pano ou mesmo um saco de lixo grande).

A corrida deverá começar em um ponto e terminar em outro predeterminado.

Cada participante deverá ficar em pé dentro do saco. Na largada, ele deverá pular para se mover e chegar ao final do trajeto.

Vence quem chegar primeiro.

A corrida de saco contribui para o desenvolvimento da coordenação motora, o equilíbrio e a agilidade.

4. Jogo das argolas

Jogo das argolas

A brincadeira consiste em arremessar as argolas e encaixá-las nas garrafas. Para isso, serão necessárias argolas e garrafas plásticas (com água ou areia dentro, para que elas fiquem pesadas e não caiam).

As garrafas devem ficar posicionadas a certa distância dos jogadores (que arremessarão as argolas).

Vence quem conseguir encaixar mais argolas nas garrafas.

Esta atividade desenvolve: percepção visual, noções de espaço e força.

5. Pula fogueira

Pula a fogueira

Para confeccionar a fogueira, precisaremos de rolos de papel toalha ou papel higiênico e folhas de seda ou celofane nas cores vermelha, laranja e amarela. Os rolos serão a base da fogueira e devem ser colados primeiro com cola quente. Depois, colar o “fogo” (os papéis) também com cola quente.

A brincadeira começa com a música “Pula Fogueira” tocando e as crianças, uma a uma, deverão pular a fogueira.

Atividade muito legal para desenvolver a coordenação motora, força e agilidade.

6. Correio elegante

Correio elegante

Precisaremos de papéis e canetas.

Quem quiser participar, pega um papel e escreve um recadinho para outra pessoa.

O recadinho será entregue por uma terceira pessoa.

Esta atividade contribui para o desenvolvimento da criatividade, da leitura e da escrita.

7. Tomba lata

Tomba lata

Para a brincadeira acontecer, precisamos de seis latas e uma bola pequena.

As bolas devem estar empilhadas: três embaixo, duas acima das três e uma em cima das duas. O participante deve ficar a uma distância predeterminada e arremessar a bola, a fim de derrubar as latas.

A brincadeira desenvolve a perceção visual, a noção de espaço e força.

8. Pescaria

Pescaria

Precisaremos de papelão, palitos de churrasco, barbante, clips, bacia e areia.

Em pedaços de papelão, desenhar e recortar os peixinhos (é necessário fazer um furo onde seria a boca do peixe). Coloque a areia na bacia e afunde os peixinhos nela – deixando a boca com o furo para fora.

Para fazer a vara, prenda o palito em uma ponta do barbante e o clip (com o arame aberto) na outra.

Para brincar, o participante deverá conseguir pescar o peixe usando a vara – para isso, deve conseguir encaixar o arame do clip na boca do peixe, puxando-o para fora da bacia.

A pescaria contribui para o desenvolvimento da coordenação motora, noção espacial, concentração e paciência.

9. Rabo do burro

Rabo do burro

Antes de iniciar a brincadeira, um burro sem o rabo deve ser desenhado em uma cartolina e colado à parede. O rabo do burro pode ser representado por uma fita.

O objetivo é, de olhos vendados, colocar o rabo no burro. Para isso, o participante inicia a uma determinada distância da parede onde está o burro e deve encontrá-lo sem usar a visão.

A brincadeira é excelente para explorar a percepção dos sentidos e desenvolver a noção espacial.

10. Dança da laranja

Dança da laranja

Para esta atividade, vamos precisar de uma laranja por dupla e música – de preferência, caipira.

A dupla deverá dançar com as mãos para trás e com a laranja sendo segurada pela testa dos dois participantes.

Se a laranja cair, a dupla perde. Vencerá o jogo a dupla quem mantiver a laranja na testa por mais tempo.

A brincadeira ajuda na interação, além de desenvolver o equilíbrio e a coordenação motora.

11. Bolinha no chapéu

Bolinha no chapéu

Precisaremos de um chapéu (de preferência de palha) e bolinhas (pode ser de ping pong ou mesmo feitas de papel amassado).

O chapéu deverá ficar a certa distância dos participantes e o objetivo é acertar as bolinhas dentro do chapéu.

Quem acertar mais bolinhas, vence o jogo.

A brincadeira ajuda a desenvolver a percepção visual, noções de espaço e força.

12. Bingo

Bingo

Para brincar de bingo, primeiro é necessário separar algumas prendas (prêmios).

Depois, cartelas com números aleatórios são distribuídas entre os participantes.

Uma pessoa fica encarregada de sortear os números e “cantar” para que os participantes marquem em suas cartelas os números que saírem.

Ganha a prenda aquele que conseguir completar primeiro uma linha de números (na vertical, horizontal ou diagonal) ou a cartela inteira – algumas vezes, há um prêmio para quem completa a linha (“cinquina”) e outro para quem completa a cartela inteira.

O bingo é um recurso bem legal para trabalhar a atenção e a tolerância à frustração.

13. Cavalo de pau

Cavalo de pau

Para fazer o cavalo de pau precisaremos de um cabo de vassoura, um pedaço de papelão (papel cartão ou cartolina), retalhos de papel (ou tecido) vermelho, canetinha preta, tesoura e cola.

Desenhe duas vezes, de forma espelhada, a cabeça do cavalo no papelão (se achar necessário, pinte com tinta marrom e faça os detalhes como preferir). Entre as duas cabeças confeccionadas, cole o cabo da vasoura. Espere secar.

Depois de pronto, a criança deve montar no cabo da vassoura e sair galopando.

A brincadeira é bem divertida e ajuda no desenvolvimento do equilíbrio e da criatividade.

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *